PIB prevê queda de 4,81% do mercado financeiro; veja o que isso significa

Desde maio pela primeira vez, os analistas do mercado financeiro estima tomo no PIB de menos de 5% em 2020. A projeção da economia teve um recuo de 5 para 4,81%. A expectativa da inflação subiu e aproximou-se de 3% neste ano.

PIB prevê queda de 4,81% do mercado financeiro; veja o que isso significa
PIB prevê queda de 4,81% do mercado financeiro; veja o que isso significa (Imagem: Reprodução Portal RBJ)

Produto Interno Bruto- PIB

Todos os dados foram levantados nas pesquisas com mais de 100 instituições financeiras. A previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) passou de 5% para 4,81% neste ano. O PIB é a soma de todos os bens e serviços que são produzidos no país, servindo como um medidor da evolução da economia.

Em maio de 2020 a previsão dos analistas dos bancos não ficava abaixo de uma contração de 5% para o PIB em 2020. No dia 30 de junho, os economistas chegaram a estimar uma queda de 6,6% para a economia em 2020.

No entanto, essa previsão do mercado também baixou, de 3,47% para 3,42%, a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto para 2021.

A expectativa para o nível de atividade foi feita em meio à pandemia do novo coronavírus, que tem derrubado a economia mundial e colocado o mundo no caminho de uma recessão. Nos últimos meses os indicadores mostra uma retomada da economia brasileira.

Leia mais: Salário: Saiba quais são os cargos com maior piso salarial em 2021

Taxa de juros

Em setembro deste ano a taxa básica de juros teve uma manutenção de 2%, com isso o mercado prevê estabilidade na Selic até o fim do ano. Já no fim do ano de 2021, a expectativa do mercado subiu de 2,50 para 2,75%, isto é, os analistas estão prevendo uma alta de maior juros no ano que vem.

Além do aumento da taxa de juros as outras previsões dos analistas financeiros, são:

  • Dólar: a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2020 subiu de R$ 5,35 para R$ 5,40. Para o fechamento de 2021, avançou de R$ 5,10 para R$ 5,20 por dólar;
  • Balança comercial: para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção em 2020 subiu de US$ 57,56 bilhões para US$ 58 bilhões de resultado positivo. Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado permaneceu em US$ 55 bilhões de superávit;
  • Investimento estrangeiro: a previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil neste ano continuou em US$ 50 bilhões. Para 2021, a estimativa permaneceu estável em US$ 65 bilhões.

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.