São Luís registra aumento de 0,38% na inflação em agosto; o que isso significa?

São Luís sofreu um aumento na inflação de 0,38% nos seus produtos no mês de agosto. No entanto, foi menor do que o aumento que teve em julho, registrado em 0,57%.

São Luís registra aumento de 0,38% na inflação em agosto; o que isso significa?
São Luís registra aumento de 0,38% na inflação em agosto; o que isso significa? (Imagem: Reprodução G1-Globo)

Grupos de despesa afetados

De todos os grupos de despesa, seis foram afetados pela inflação de São Luís.

  • Habitação (2,01%);
  • Comunicação (1,78%);
  • Transportes (1,73%);
  • Saúde e cuidados pessoais (0,94%);
  • Artigos de residência (0,84%);
  • Despesas pessoais (0,14%).

Todos os dados obtidos são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Esses dados foram divulgados na quarta-feira (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O IBGE pesquisou 16 regiões do estado do Maranhão e dessas 11 houve tiveram aumento na inflação. A capital Maranhense, São Luís teve a sexta maior inflação das 11 que tiveram o quadro inflacionário.

Leia mais: Aneel libera desconto de 0,39% na conta de energia dos maranhenses

Maiores impulsionadores no grupo de despesas em São Luís

Transporte

O que mais gerou despesas no grupo dos transportes foram:

  • Aumento de preços na gasolina de 5,54%;
  • Automóvel usado de 2,13%;
  • Automóvel novo de 0,92%;
  • Óleo diesel de 2,53%

Habitação

No grupo de habitação foi constada elevação de valores nos itens:

  • Cimento (6,34%);
  • Tijolo (8,31%);
  • Telha (3,78%);
  • Aluguel Residencial (0,79%).

Saúde e cuidados pessoais

No grupo de saúde e cuidados pessoais os aumentos foram:

  • Perfume (3,48%);
  • Serviços médicos (1,53%);
  • Analgésico e antitérmico (2,01)%;
  • Óculos de grau (2,43%).

Comunicação

De todos os grupos de despesas, o grupo de comunicação teve o segundo maior aumento de preços com 1,78%. O serviço de acesso à internet, foi o terceiro maior impacto do IPCA de São Luís com 12,18% de aumento.

Artigos de residência

Em julho, o grupo dos artigos de residência sofre aumento de 0,14%, porém em agosto, houve um aceleração no aumento de preços de 0,84%. Alguns dos itens que sofreram mais aumento foram:

  • Aparelho de TV (2,70%);
  • Computador pessoal (4,19$);
  • Ventilador (2,95%);
  • Aparelho de som (3,03%);
  • Móvel para sala (1,72%).

Despesas pessoais

Em agosto, o aumento do grupos de despesas pessoais foi mais intenso do que nos anos posteriores. Em junho, teve um aumento de 0,09% e em julho 0,04%, porém no mês posterior, esse aumento subiu para 0,14%. Os itens mais prejudicados foram:

  • Serviços bancários (0,28%);
  • Alimento para animais (1,88%);
  • Hospedagem (3,23%);
  • Barbeiro e cabeleireiro (0,33%);

Paralelo a isso alguns grupos como educação, alimentação, bebidas e vestuários tiveram queda de preços. Na educação, por exemplo essa queda foi de -8,35%. No Brasil em geral o grupo educação teve uma queda significativa de 3,47%. Quanto aos grupos de bebidas e alimentação, o consumo das famílias de São Luís tiveram um recuo de -0,06%.

Facebook Comments

Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes – SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a redação do Jornal O Norte.