Fala de Bolsonaro no Twitter viola regras da plataforma e recebe aviso de ‘fake news’

Um post feito pelo presidente Jair Bolsonaro no Twitter recebeu uma marcação de violação de regras da rede. A postagem foi realizada sexta-feira (15) e fala sobre um “tratamento precoce” contra Covid-19 sem comprovação médica. A plataforma alerta sobre informações enganosas e prejudiciais.

Post de Bolsonaro no Twitter viola regras da plataforma e recebe aviso de 'fake news'
Post de Bolsonaro no Twitter viola regras da plataforma e recebe aviso de ‘fake news’. (Imagem: Agência Brasil)

A medida restringe o alcance do tuíte, mas permite que o mesmo continue no ar.

O post de Bolsonaro diz que “estudos clínicos demonstram que o tratamento precoce da Covid, com antimaláricos, podem reduzir a progressão da doença, prevenir a hospitalização e estão associados à redução da mortalidade”, o que é falso.

Leia mais: Conheça os candidatos à presidência da Câmara dos Deputados

Publicação de Bolsonaro é ligada a ‘fake news’

A rede social marcou o post com um aviso, dizendo que “violou as Regras do Twitter sobre publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à Covid-19”. A plataforma também ocultou a contagem de curtidas e de compartilhamentos.

A política de uso da rede considera que, se um post de um líder mundial violar as regras, mas houver interesse público em mantê-lo na plataforma, o aviso é utilizado.

Segundo Yasmin Curzi, especialista em Direito Digital da FGV-Rio, os seguidores podem ser levados a procurar informações verdadeiras.

Pesquisadores de diferentes instituições já comprovaram que não há prevenção e/ou tratamento com medicamentos para a Covid.

Diretores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) também consideraram a falta de alternativas terapêuticas para aprovar o uso emergencial de vacinas.

Leia mais: Bolsonaro culpa governador do Amazonas por falta de oxigênio para pacientes com Covid-19

A reunião do órgão regulador foi realizada no domingo (17) e terminou com a autorização de uso das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19.

O Ministério da Saúde informou que a vacinação deve começar nesta quarta-feira (20) em todo o país.

O Twitter já agiu contra postagens do presidente em outras ocasiões. Em março de 2020, tuítes de Bolsonaro foram apagados por violar regras relacionadas a informações sobre a pandemia, como supostas medidas preventivas contra a doença, tratamentos ou curas.

Na semana passada, o Twitter suspendeu as contas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por risco de incitação à violência.

Mônica Chagas Ferreira é mestranda em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Como pesquisadora, estuda Análise do Discurso na perspectiva foucaultiana, contemplando relações de saber, poder e política presentes na mídia. Enquanto jornalista, já atuou em rádios e veículos impressos. Atualmente trabalha como assessora de comunicação e redatora do Jornal O Norte.